Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Seguro-viagem é opção para turistas

A onda terrorista, desencadeada depois do atentado ao World Trade Center em Nova York, deixou os turistas mais precavidos, principalmente em viagem ao exterior. Um dos meios para diluir a preocupação é o seguro-viagem e as seguradoras, atentas a esse interesse, estão ampliando a oferta de produtos para seduzir os potenciais clientes.Lançado recentemente, o seguro de viagem da Santos Seguros, por exemplo, oferece um diferencial importante: os valores das coberturas, afirma o consultor da área Luiz Roberto Latini. Na Santos, existem planos com cobertura de R$ 50 mil e R$ 100 mil, para viagens dentro e fora do País. Além disso, a seguradora oferece diversos tipos de assistência. "Vale lembrar que existe diferença de serviços de assistência entre uma viagem nacional e uma internacional. Adiantamento de dinheiro para gastos médicos, por exemplo, só vale para quem viaja para fora do País e pode enfrentar maiores dificuldades", explica o diretor da Santos Seguros, Ricardo Ferreira.De acordo com o presidente da Federação Nacional dos Corretores de Seguros (Fenacor), Leôncio Arruda, não é uma novidade o lançamento desses produtos, ofertados no mercado brasileiro desde o fim da década de 70. A diferença está em agregar assistências ao seguro. A maior parte dos produtos pode ser adquirida em corretoras ou agências de viagem. Algumas seguradoras estendem o seguro-saúde a outras localidades, englobando o conceito do seguro-viagem.

Agencia Estado,

08 de outubro de 2001 | 09h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.