Seguros vida e previdência na A.Latina crescem mais que PIB

Os prêmios dos seguros de vida eprevidência na América Latina cresceram mais do que aseconomias dos países da região, impulsionados pelo retorno doconceito de poupança uma vez superadas as crises financeiras,disse nesta segunda-feira um relatório privado. O fenômeno se mostra bem forte no Brasil, a partir de umimportante programa de redução de impostos a favor dodesenvolvimento destes instrumentos. Os resultados foram baseados em um estudo da consultoraErnst & Young a pedido da Associação de Seguradores de Vida eAposentadoria da República Argentina (Avira, na sigla emespanhol). "Os dados gerais da América Latina nos mostram prêmiossubindo quase 7 por cento frente a um crescimento regional doPIB de 2,6 por cento", disse o relatório. "O aumento é explicado pela existência da cultura depoupança muito enraizada em boa parte da população. Uma vezsuperado o momento mais agudo da crise, as pessoas voltam aadiar o consumo presente para assegurar o bem-estar no futuro",disse Gabriel Chaufan, presidente da Avira. No Brasil, o setor de seguros de vida e previdência cresceucinco vezes e meio a mais que o PIB ao registrar uma expansãode 11,7 por cento. Este cenário também apareceu no México e naColômbia. A exceção foi o Chile, no qual o crescimento dos prêmiosfoi de 2,9 por cento no período de 2001 a 2005, frente a 4,3por cento do PIB regional. Na Argentina, a economia teve uma média de crescimento de 9por cento entre 2003 e 2005, e os prêmios acumularam 12,8 porcento, concluiu o relatório. (Por Jorge Otaola)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.