Seis grupos vão disputar concessão da Ponte Rio-Niterói

Novo leilão para a administração da via por um prazo de 30 anos será realizado amanhã, em São Paulo

LUCIANA COLLET, O Estado de S.Paulo

17 de março de 2015 | 02h06

Seis grupos entregaram propostas para participar do novo leilão de concessão da ponte Rio-Niterói, que será realizado amanhã, na BM&FBovespa, em São Paulo. A concessão compreende a operação, manutenção, monitoração, conservação e implantação de melhorias do sistema rodoviário no segmento do trecho com 13,2 km de extensão, além dos seus acessos.

O novo concessionário também deverá implementar novas obras, que possuem investimento estimado em R$ 1,3 bilhão, sendo R$ 810 milhões a serem aplicados nos primeiros cinco anos de concessão.

Uma das empresas que participará da disputa é a Triunfo Participações e Investimentos, segundo uma fonte próxima à empresa. Na semana passada, o conselho de administração da companhia já havia aprovado a participação no leilão, conforme ata da reunião encaminhada à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Mas não estava claro que a companhia havia tomado uma decisão final de entrar efetivamente na disputa.

Conforme apurou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, também entregaram propostas a CCR - que desde 1995 é a administradora da via -, a EcoRodovias, a JSL e a AB Concessões, joint venture do grupo Bertin com o italiano Atlantia. Uma sexta empresa ou consórcio também se apresentou, mas representantes deste grupo não revelaram em nome de quem estavam ali.

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) confirmou que recebeu seis propostas, mas só revelará o nome dos proponentes a partir das 17 horas de hoje, quando também informará se eventualmente alguma garantia de proposta não foi aceita e o motivo.

A abertura dos envelopes qualificados está marcada para a manhã desta quarta-feira, na BM&FBovespa. Pelas regras do leilão, a tarifa máxima é de R$ 5,18620, a preços de janeiro de 2014, valor ligeiramente abaixo da atual, de R$ 5,20. Vencerá a disputa quem oferecer o menor valor de pedágio para administrar a ponte pelos próximos 30 anos.

Dentre as principais obras, estão previstas a construção de uma alça de ligação do Sistema Rodoviário à Linha Vermelha, visando a evitar que os usuários da Ponte com destino à Baixada Fluminense e à rodovia Presidente Dutra utilizem a Avenida Brasil, e a implantação de uma passagem subterrânea sob a Praça Renascença, em Niterói.

Também está prevista a Avenida Portuária, com extensão de cerca de 3,1 quilômetros, com objetivo de permitir o acesso dos veículos pesados da Avenida Brasil à área portuária.

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Ponte Rio-Niteróiconcessões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.