Seis montadoras globais sobreviverão à crise, diz CEO da Fiat

Para executivo, único modo de as companhias sobreviverem é se fabricarem mais de 5,5 mi de carros por ano

Marcílio Souza, da Agência Estado,

08 de dezembro de 2008 | 12h48

Apenas seis montadoras em todo o mundo sobreviverão à crise econômica atual, disse o executivo-chefe da Fiat, Sergio Marchionne, à Automotive News Europe Magazine. Segundo o executivo, depois da crise, haverá uma fabricante norte-americana, uma alemã, um grupo franco-japonês, possivelmente com extensão nos EUA, um japonês, um chinês e mais um possível player na Europa.   Veja também: Indústria automobilística não vai desaparecer, garante Obama Indústria automotiva dos EUA pode desaparecer, diz Nobel Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise    "O único modo de as companhias sobreviverem é se fabricarem mais de 5,5 milhões de carros por ano", disse Marchionne à Automotive News Europe. Atualmente, apenas cinco montadoras - Toyota, General Motors, Volkswagen, Ford Motor e Renault-Nissan - têm esse porte.   "Esse setor está ficando completamente diferente. Ele não pode continuar como era no passado. A independência não é mais sustentável." As informações são do site da Automotive News.

Tudo o que sabemos sobre:
Fiatcrise nos EUAdemissão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.