finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Seis postos de Ribeirão Preto vendiam gasolina adulterada

Dos sete postos de combustíveis de Ribeirão Preto, investigados pela Polícia Federal e pela Procuradoria da República e que tiveram suas bombas lacradas nas últimas semanas com a suspensão de comercialização de gasolina adulterada, seis apresentaram irregularidades, segundo o laudo feito pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). Os nomes dos estabelecimentos não foram divulgados. As amostras continuam solvente adicionado à gasolina e, em quatro postos, o limite de álcool misturado à gasolina chegou a até 48% do total, sendo que a legislação permite o máximo de 25%.Apenas um estabelecimento apresentou o laudo negativo no teste. O IPT ainda analisa amostras de outros quatro postos que também tiveram suas bombas lacradas ultimamente. A PF e a Procuradoria agora vão investigar se as adulterações foram cometidas pelos donos dos postos ou pelas distribuidoras de combustíveis. As irregularidades deverão ser comunicadas à Agência Nacional do Petróleo (ANP).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.