'Sejam responsáveis', diz ex-presidente do Fed ao Brasil

Paul Volcker diz que grau de investimento foi merecido, mas que País precisa dar provas de cautela

Jamil Chade, de O Estado de S. Paulo,

30 de maio de 2008 | 14h06

"Sejam responsáveis". Essa é a principal recomendação que o ex-presidente do Federal Reserve (Fed, o BC norte-americano) e uma das lendas vivas das finanças, Paul Volcker, dá ao Brasil. Em entrevista ao Estado, Volcker deixou claro que o grau de investimento recebido pelo Brasil pelas agências de rating "foi merecido". Mas sugere que as autoridades monetárias e o governo brasileiro precisam dar provas de cautela e responsabilidade a partir de agora. Veja também:Fitch eleva Brasil para grau de investimentoEfeitos do grau de investimento Brasil é elevado a grau de investimento pela S&PComo o presidente sempre diz, 'nunca antes neste País...'Na elite do mercado mundial   Volcker foi presidente do Fed entre 1979 e 1987 durante os governos de Jimmy Carter e Ronald Reagan, tomando medidas radicais para reduzir a inflação nos Estados Unidos que chegava a 13,5% em 1981. Dois anos mais tarde, estava a 3,2%. Para os mais críticos, os métodos de controle da inflação adotadas por Volcker, porém, acabaram acentuando o baixo crescimento da economia americana nos anos 80 e a alta do desemprego. Com seus 80 anos e mais de dois metros de altura, Volcker já declarou seu apoio ao candidato democrata Barack Obama nas eleições americanas e garante que continua acompanhando "atentamente tudo o que ocorre no mundo". "A situação financeira do mundo é grave. Muito grave mesmo", alertou. Eis os principais trechos da entrevista: Estado - Como o sr. avalia a situação econômica do Brasil hoje?Volcker - O Brasil é um história de sucesso, pelo menos por enquanto. Lembro-me como se fosse ontem a crise que o País viveu em 2003 com as eleições do atual presidente (Luis Inácio Lula da Silva). Naquele ano, o Brasil estava à beira de um colapso. Mas o governo deu provas de maturidade e conseguiu superar obstáculos que eram enormes e que, em alguns momentos, pareciam mesmo impossíveis de serem derrubados.  Estado - Recentemente, agências de rating deram um status de grau de investimento ao Brasil. O sr. também daria ? Volcker - Certamente. O Brasil fez por merecer esse status. É só ver o Risco País e como o mercado internacional reagiu positivamente em relação à estabilidade obtida pela economia brasileira. O grau de investimento foi merecido. Estado - Qual deve, então, ser o caminho seguido pelo Brasil a partir de agora com o novo status? Volcker - Sejam responsáveis. Isso é a principal sugestão que eu poderia dar. Não se deixem levar por entusiasmos passageiros. A cautela fiscal e orçamentária precisam ser mantidas. Lembro-me como se fosse ontem a crise em 2003. É impressionante o que o Brasil conseguiu desde então. O segredo é seguir com a mesma estratégia. O Brasil tem pessoas inteligentes que sabem que precisam manter essa linha.  Estado - Nos final dos anos 70, quando o sr. foi escolhido para liderar o Fed, o mundo vivia também uma alta da inflação. Como o sr. analisa a situação hoje com as pressões inflacionárias no setor do petróleo e alimentos? Volcker - A situação financeira do mundo é grave. Muito grave mesmo. O sistema financeiro vive um momento difícil e a inflação também preocupa. Espero sinceramente que os preços dos alimentos voltem a cair. O sistema de metas de inflação (adotado por bancos centrais de todo o mundo nos últimos anos) poderá passar por seu primeiro grande teste diante da volta das pressões inflacionárias

Tudo o que sabemos sobre:
Grau de InvestimentoFederal Reserve

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.