Selic deve fechar 2006 em pouco mais de 14%

A taxa básica de juros (Selic, atualmente em 16,5% ao ano) deve chegar em dezembro a 14,14%. A previsão média foi divulgada nesta quarta-feira pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), após pesquisa feita com 50 instituições bancárias. De acordo com o economista chefe da Febraban, Roberto Luiz Troster, desde julho do ano passado, a taxa média projetada para dezembro deste ano é revisada para baixo todos os meses. "A melhoria no cenário está associada a três fatores: a crise política, a composição da dívida e a valorização do real, que amplificaram a atuação da política monetária", alegou. Na sua avaliação, a crise política teve o efeito de adiar decisões de consumo e de investimento. A política ativa dos últimos meses de diminuir a participação de títulos pós-fixados em taxa Selic apresentou resultado positivo e a valorização do dólar está tendo um papel importante na redução da inflação, reforçando a política de juros. Apesar disso, o economista destacou que o patamar de juros continua alto para padrões internacionais. "E a razão principal é a fraca evolução das contas públicas." Outras projeções Ainda na pesquisa, a projeção média para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2006 é de 3,55%. A inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), deve ficar em 3,48%, ao passo que a estudada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deve fechar abaixo dos 4,5% estipulados como meta pelo Conselho Monetário Nacional, em 4,47%. Na mesma análise, a projeção do dólar em dezembro de 2006 é de R$2,22. As projeções de exportação e importação são de US$ 127,55 bilhões e US$ 87,72 bilhões, respectivamente. E o resultado do superávit primário é de 4,29% do PIB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.