Selic deve subir em algum momento, diz secretário-adjunto da Fazenda

Para Pablo Fonseca, é mais relevante, no entanto, observar que o mercado de juros se tornou mais previsível e estável 

Bianca Ribeiro e Aline Bronzati, da Agência Estado,

27 de setembro de 2012 | 13h11

SÃO PAULO - O secretário-adjunto de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Pablo Fonseca, afirmou nesta quinta-feira, 27, que a taxa básica de juros (Selic) "deve, sim, subir em algum momento", mas adiantou que esse não é o aspecto mais importante da política monetária.

Na avaliação dele, é mais relevante observar que o mercado de juros se tornou mais previsível e estável. Segundo Fonseca, a gestão da política monetária também tem muito mais força hoje do que no passado. "Não importa quando (a Selic) muda. O ponto é que ela não será mais como já foi anteriormente", disse.

Segundo Fonseca, no passado, o perfil da dívida pública interna brasileira era uma grande causa da volatilidade, pois uma fatia relevante era indexada à variação do dólar ou da taxa Selic. "Era um círculo vicioso e quando a crise chegava, era preciso um juro mais alto para superá-la", disse, reiterando que hoje a política monetária no País é muito mais forte. 

Tudo o que sabemos sobre:
ministério da fazendafonsecaselic

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.