Selic em 22% provoca reação positiva nos mercados

O Comitê de Política Monetária (Copom) surpreendeu o mercado financeiro e cortou a Selic, a taxa básica de juros da economia, em 2,5 pontos porcentuais ? de 24,5% ao ano para 22% ao ano. Foi a redução mais intensa na Selic desde maio de 1999, quando o juro caiu de 27% para 23,5%. Com a decisão de hoje, a Selic atinge o menor nível desde novembro de 2002. Embora não tenha vindo dentro das expectativas, o Copom arrancou elogios de todas as frentes: empresários, políticos e agentes de mercado (veja links abaixo). O mercado de ações, que realizava lucros no período da manhã embutindo a expectativa de que o Copom reduzisse a Selic para 23%, foi pego de surpresa com a taxa de 22%. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou o dia com valorização de 2,18%. O Ibovespa ? índice que mede o desempenho das ações mais negociadas na Bolsa ? atingiu 14.466 pontos no fechamento, o maior nível desde 4 de março de 2002, quando fechou com 14.471 pontos segundo informação da bolsa paulista. A Bovespa, no entanto, não soube informar qual a última vez em que o volume financeiro diário superou R$ 1 bilhão.Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), os contratos com taxas pós-fixadas (DIs) encerraram o dia com juros de 20,350% ao ano para os papéis com vencimento em janeiro de 2004, frente a 21,090% negociados ontem. O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 2,9950 na ponta de venda dos negócios, em alta de 0,20% em relação às últimas operações de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.