Selic menor provoca mais um dia de alta na Bolsa

A redução da Selic, a taxa básica de juros da economia, de 24,5% ao ano para 22% ao ano continuou provocando reações positivas no mercado de ações. A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou o dia com alta de 1,40%. Com o desempenho de hoje, o Ibovespa ? índice que mede a valorização das ações mais negociadas na Bolsa - registrou o décimo-primeiro pregão consecutivo em alta. Segundo informou o editor Mário Rocha, esta quinta-feira também exibiu o segundo pregão consecutivo em que o giro financeiro superou a casa de R$ 1 bilhão. Além disso, o Ibovespa somou 14.669 pontos no fechamento, o nível mais alto desde 22 de junho de 2001, quando o Índice da Bolsa encerrou os negócios com 14.682 pontos. Em agosto, a Bolsa registra alta de 8,09%. No acumulado do ano, a alta é de 30,18%. Nos últimos 12 meses, o ganho acumulado é de 55,44%.No mercado de juros futuros, as taxas recuaram um pouco mais. Os contratos negociados na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F) com vencimento em outubro deste ano pagaram taxa de 21,400% ao ano, frente a 21,480% ao ano ontem. O dólar comercial encerrou o dia cotado a R$ 3,0050 na ponta de venda dos negócios, em alta de 0,33% em relação às últimas operações de ontem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.