finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Sem acordo, Petrobras sairá da Bolívia, diz Garcia

O ex-assessor especial da Presidência para Assuntos Internacionais, Marco Aurélio Garcia, que atualmente coordena a campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, candidato à reeleição pelo PT, disse nesta segunda-feira que a Petrobras poderá sair da Bolívia, caso não haja um acordo com o governo daquele país."Se não houver acordo a Petrobras se retirará da Bolívia. É muito simples", afirmou Garcia. De acordo com ele, caso isso ocorra, a Petrobras será indenizada "ou pela vontade do governo boliviano, ou em função de tribunais internacionais". "Não há nenhuma dificuldade neste problema", completou. Ele negou que tenha havido algum tipo de ultimato por parte da Bolívia envolvendo as negociações do fornecimento de gás natural para o Brasil. "Não existe ultimato coisa nenhuma. Não existe ultimato até porque o governo brasileiro não aceita ultimatos", disse Garcia, que participou nesta segunda-feira de um debate com o coordenador da campanha do tucano Geraldo Alckmin à Presidência, senador Sérgio Guerra, promovido pela Folha de S. Paulo.

Agencia Estado,

23 de outubro de 2006 | 19h56

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.