Sem acordo, reunião entre bancários e banqueiros é suspensa

Foi suspensa no final da tarde de hoje a reunião entre representantes dos bancos e os bancários que estava sendo realizada em um hotel da capital paulista. Segundo a Confederação Nacional dos Bancários (CNB), não houve um acordo e deve haver um novo encontro nos próximos dias, mas ainda não há data agendada.No final da manhã de hoje, a Executiva Nacional dos Bancários e negociadores da Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) voltaram a discutir o reajuste para trabalhadores de instituições privadas. Na semana passada, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) estabeleceu que os bancos públicos - Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal - concedessem o reajuste salarial proposto pela Fenaban, de 8,5%, além do abono de R$ 1 mil e outros R$ 30 fixos por mês para os trabalhadores que ganham até R$ 1.500.De acordo com o Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, os trabalhadores levaram aos banqueiros a contraproposta aprovada pelos trabalhadores em assembléia: 19% de reajuste mais abono de R$ 1.500, Participação nos Lucros de Resultados (PLR) de um salário mais R$ 1.200, além da manutenção de outras cláusulas já negociadas.Os banqueiros insistem na proposta que já foi rejeitada pelos trabalhadores e determinada pelo TST para a Caixa e para o BB. Os bancários também querem se reunir, ainda nesta semana, com as direções dos bancos públicos para discutir questões específicas das carreiras dos funcionários dos dois bancos, além de melhorias nas propostas de pagamento de 13º salário, cesta alimentação e PLR, não contemplados na decisão do TST.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.