Agência Petrobrás/Divulgação
Agência Petrobrás/Divulgação

Sem acordo, Senado não deve votar nesta terça projeto que destrava megaleilão do pré-sal

Parlamentares e Ministério da Fazenda não chegaram a entendimento sobre divisão de recursos arrecadados com Estados e municípios

Renan Truffi, O Estado de S.Paulo

27 de novembro de 2018 | 12h53

BRASÍLIA - A falta de acordo entre a equipe econômica e o Senado Federal deve adiar para quarta-feira, 28, a votação do projeto de revisão do contrato de cessão onerosa da Petrobrás. A proposta é o primeiro item da pauta prevista para esta terça-feira, 27, mas ainda não há um entendimento entre parlamentares e o Ministério da Fazenda.

Parte dos senadores defende colocar no texto uma previsão de que 20% dos recursos arrecadados no leilão do excedente de petróleo sejam repartidos com Estados e municípios. Essa proposta iria de encontro ao que desejam os governadores. Outros senadores defendem que recursos do Fundo Social sejam repassados aos governos regionais.

O Estadão Broadcast apurou, no entanto, que o principal foco de resistência em relação a essa mudança no texto parte do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia. Diante do impasse, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), deve se encontrar com o presidente Michel Temer, no Palácio do Planalto, para discutir o assunto. 

O projeto autoriza a Petrobrás a transferir até 70% dos direitos de exploração de petróleo do pré-sal, na área cedida onerosamente pela União, para outras petroleiras privadas. Um projeto ampliando a repartição dos recursos desse fundo tramita na Câmara dos Deputados e poderia ser pautado no plenário da Casa.

Tudo o que sabemos sobre:
Petrobráspré-salleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.