Sem aviões, Varig corta linha Rio-Frankfurt

A Gol enfrenta outro obstáculo para fazer decolar a operação internacional da Varig, depois de descobrir e pagar velhas dívidas, de US$ 17,5 milhões, nos aeroportos internacionais. A nova dona da Varig está com dificuldades em conseguir aviões. Por isso, a Varig já suspendeu uma linha para Frankfurt, saindo do Rio, e ainda não retomou a rota para Buenos Aires, inoperante há dois meses.A falta de aviões tem duas explicações. A primeira delas é que o mercado está aquecido e existem poucos aviões para serem vendidos ou arrendados no mercado internacional. A outra razão é que as empresas de arrendamento de aviões estão cobrando parte das velhas dívidas de leasing da Varig, que chegam a R$ 2 bilhões, para poder liberar aviões de grande porte em seu poder. A Gol não quer pagar para não abrir um precedente de sucessão de dívidas. A nova Varig suspendeu, então, a rota para Frankfurt desde 20 de setembro, quando remanejou o avião que voava para a Alemanha para poder reinaugurar a linha São Paulo-Paris-Roma. A Gol, que comprou a Varig em março por US$ 320 milhões, substituiu a linha direta do Rio pela rota Rio-São Paulo-Frankfurt. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que a VRG pode suspender seus vôos no exterior, mas tem seis meses para retomar a rota, sob pena de perdê-la. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.