Sem calote, revisão de acordo sai amanhã, diz TV argentina

O presidente da Argentina, Néstor Kirchner, já deu a ordem ao Banco Central para fazer a remessa dos US$ 3,1 bilhões ao Fundo Monetário Internacional, referente ao vencimento de hoje, evitando assim o default (calote) da Argentina com o organismo. A informação é de uma alta fonte da Casa Rosada. Segundo esta fonte, a decisão do presidente foi adotada após a conversa de meia hora que ele manteve com a diretora-gerente interina do FMI, Anne Krueger, no início desta tarde. A fonte disse ainda que Krueger se comprometeu a enviar um comunicado recomendando à diretoria do organismo a aprovação da segunda revisão de metas da Argentina. Este era o sinal que o presidente esperava de Washington para fazer o pagamento. A tevê argentina Todo Notícias veiculou a mesma informação de que Kirchner teria dado a ordem para a remessa dos US$ 3,1 bilhões ao FMI. Com base em declarações de uma fonte na Casa Rosada, a emissora anunciou que a operação de pagamento será completada após 12 horas e que o anúncio com os detalhes do acordo firmado entre o FMI e a Argentina será feito apenas na manhã desta quarta-feira em Washington, na sede do Fundo.

Agencia Estado,

09 Março 2004 | 14h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.