Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Sem fatos novos, mercados operam estáveis

Os negócios no mercado financeiro começam o dia à espera de fatos novos. As incertezas em relação às possíveis conseqüências da crise de energia no País e à recuperação da economia na Argentina já estão embutidas no preço dos ativos. Portanto, uma recuperação mais forte dos mercados depende de notícias positivas, assim como qualquer fato novo negativo pode provocar novamente a instabilidade.A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) opera em alta de 0,92%. Os contratos de juros de DI a termo - que indicam a taxa prefixada para títulos com período de um ano - pagam juros de 21,150% ao ano, frente a 21,400% ao ano ontem. O dólar comercial interrompeu a seqüência de alta verificada nos últimos dias e opera em queda nos primeiros negócios da manhã. Há pouco estava cotado a R$ 2,3790 na ponta de venda dos negócios - queda de 0,46% em relação aos últimos negócios de ontem.O índice Merval da Bolsa de Valores de Buenos Aires começa o dia em leve baixa de 0,01%. Nos Estados Unidos, o Dow Jones - índice que mede a variação das ações mais negociadas na Bolsa de Nova York - está em baixa de 0,16%, e a Nasdaq - bolsa que negocia ações de empresas de alta tecnologia e informática em Nova York - opera com baixa de 0,04%.InvestimentosNão deixe de ver no link abaixo as dicas de investimento, com as recomendações das principais instituições financeiras, incluindo indicações de carteira para as suas aplicações, de acordo com o perfil do investidor e prazo da aplicação. Confira ainda a tabela resumo financeiro com os principais dados do mercado.

Agencia Estado,

06 de junho de 2001 | 10h51

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.