bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Sem gratificações, banqueiros ingleses cobram salários maiores

Aumentos de até 10% são exigidos pelos executivos para compensar as restrições impostas pela crise

Efe,

24 de fevereiro de 2009 | 06h35

Destacados executivos de Londres reivindicam agora aumentos salariais de até 10% como compensação pelas restrições impostas ao pagamento de gratificações após a crise financeira. Veja tambémDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise A afirmação foi feita ao jornal The Independent por Shaun Springer, diretor-executivo da empresa Napier Scott, especializada no recrutamento de executivos do setor financeiro na Europa, África e Oriente Médio. "Os salários-base estão aumentando atualmente entre 5% e 10% para compensar a queda dos outros tipos de remuneração", explica Springer, acrescentando que as gratificações pagas aos banqueiros se reduziram em até 80%. "Antes, ganhavam entre 112 mil euros e 168 mil euros e cobravam gratificações que podiam multiplicar em dez vezes estes valores, mas agora há uma tendência a pagar salários de 336 mil euros e complementá-los com bônus que só duplicam ou triplicam essa quantidade", avalia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.