ADEK BERRY/AFP
ADEK BERRY/AFP

Bovespa cai 1,7% e dólar recua 0,11% com cenário político e exterior

Receio de que processo de impeachment seja prejudicado derrubou as ações do Ibovespa

Paula Dias e Fabrício de Castro, O Estado de S. Paulo

05 de maio de 2016 | 12h21
Atualizado 05 de maio de 2016 | 18h08

A combinação entre incertezas com o cenário político e o mau humor do mercado internacional levou a Bovespa a fechar em queda de 1,68% nesta quinta-feira, aos 51.671,04 pontos. Pela manhã, o Índice Bovespa chegou a subir 0,99%, mas perdeu fôlego e, no pior momento, chegou a cair 2,36%. No mercado de câmbio, o dólar foi bastante influenciado pelo exterior. Alternou altas e baixas e terminou o dia cotado a R$ 3,5405, em baixa de 0,11%.

Os mercados iniciaram o dia com a notícia de que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki afastou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, do mandato de deputado federal e, consequentemente, do comando da Casa. Em um primeiro momento, o fato foi considerado positivo para o vice-presidente Michel Temer. Isso porque, como a imagem de Cunha está desgastada, seu afastamento daria mais credibilidade à chegada de Temer ao poder.

A Bovespa passou a perder fôlego após o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, confirmar a intenção de, baseado na decisão de Teori, pedir a anulação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff - conduzido por Cunha. Ao mesmo tempo, as bolsas de Nova York também mostraram enfraquecimento, o que levou a Bolsa brasileira a ingressar definitivamente no terreno negativo no final da manhã.

Segundo profissionais do mercado de renda variável, as ações que melhor demonstraram o risco político foram justamente as que exibiram melhora com os avanços do impeachment, como as da Petrobrás. Os papéis da estatal terminaram o dia em baixa de 2,47% (ON) e de 1,11% (PN), mesmo com o petróleo em alta. Na Nymex, o petróleo subiu 1,23%, enquanto na ICE houve avanço de 0,87%.

As ações do setor bancário também sentiram a influência do cenário político e voltaram a cair, após uma breve recuperação na véspera. Itaú Unibanco PN teve queda de 1,49% e Bradesco PN recuou 2,51%. No pior momento, à tarde, o Ibovespa chegou à mínima de 51.311 pontos, com queda de 2,36%. Na véspera, havia subido 0,56%. O volume financeiro totalizou R$ 5,79 bilhões, considerado baixo, o que reforça a tese da cautela do investidor. Mesmo com a queda de hoje, o índice ainda guarda valorização acumulada de 19,20% em 2016.

No mercado de câmbio, o dólar acompanhou essencialmente o mercado internacional, onde a divisa operava em baixa frente a várias moedas. Nos momentos em que o petróleo registrou ganhos firmes, a moeda americana se reaproximou dos R$ 3,50 e, quando a commodity reduziu o ímpeto, a cotação se afastou deste patamar. O Banco Central não promoveu leilões de swap cambial reverso.

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.