Sem Nova York, mercados mantêm recuperação

O feriado do Dia da Independência em Nova York deixou a Bovespa à míngua. Mas os mercados de câmbio e de juros registraram um giro financeiro considerado razoável. A bolsa paulista fechou praticamente estável, em ligeira alta de 0,03%. Já o dólar encerrou os negócios em baixa, apesar do leilão de compra de moeda feito pelo Banco Central.CâmbioApós reagir em alta na segunda-feira à volta dos leilões de compra do BC, o dólar pronto retomou a queda hoje. Mas o pronto fechou perto da máxima do dia (de R$ 2,171), em baixa de 0,55% a R$ 2,1680 na roda da BM&F; e em queda de 0,50% a R$ 2,169 no balcão. Como o BC fez o leilão de compra hoje mais cedo e aumentou o apetite por dólar - ao aceitar dez propostas ante apenas uma ontem, à taxa de corte de R$ 2,166 -, as cotações acabaram se ajustando. Operadores estimaram que a autoridade pode ter comprado cerca de US$ 100 milhões. No mercado de dólar futuro, no entanto, o giro financeiro diminuiu 30% ante o registrado ontem, segundo operadores, por causa do feriado norte-americano: foram negociados 105.203 contratos com volume de US$ 5,29 bilhões. Os cinco vencimentos transacionados projetaram baixas: o mais curto, para 1º de agosto/06, -0,45% a R$ 2,184; e o mais longo, para março/07, -0,68% a R$ 2,287.Na roda da BM&F, o pronto já abriu em queda de 0,76% a R$ 2,1635; oscilou 0,53% entre a mínima de manhã de R$ 2,1595 (-0,94%) e a máxima à tarde de R$ 2,171 (-0,41%). No balcão, o pronto oscilou 0,46% entre a mínima de R$ 2,161 (-0,87%) e a máxima de R$ 2,171 (-0,41%).JurosAs taxas de juros futuras voltaram a cair nesta terça-feira e, contrariando as previsões, em um dia de liquidez razoável. O volume de negócios superou o registrado ontem, e demonstrou que há por parte do investidor doméstico apetite para apostar na melhora do humor.A balança comercial forte, a inflação sob controle e o câmbio sem pressões são alguns dos fatores apontados como razões do clima tranqüilo no mercado de juros. "Se, de fato, o ambiente externo não piorar, haverá espaço para devolver os prêmios nos Dis mais longos", acrescenta um operador. Ele destaca, no entanto, que as oscilações das taxas não estão descartadas. "Ainda haverá realização de lucros e preocupação com os próximos indicadores de inflação. Mas, provavelmente, a intensidade dessa volatilidade será menor", afirma.Os dados mais importantes da semana, no entanto, vêm na sexta-feira: nos EUA, tem payroll (vagas criadas) de junho, e, por aqui, IPCA de junho.Na BM&F, o DI com vencimento em janeiro/08 fechou com taxa de 14,90%, ante 14,98% ontem; DI janeiro/09, 15,12% (15,26%); DI janeiro/07, 14,61% (14,63%).BolsaO giro financeiro ficou na casa de R$ 1 bilhão e o Ibovespa oscilou durante todo o dia, para cima e para baixo, próximo da estabilidade, sem definir qualquer tendência. Numa terça-feira com agenda fraca também no Brasil, os investidores adotaram a cautela à espera da reabertura das operações em Wall Street amanhã.O Ibovespa fechou em ligeira alta de 0,03%, com 37.367 pontos. Operou entre a máxima de 37.601 pontos (+0,65%) e a mínima de 37.188 pontos (-0,45%). Com esse resultado, a bolsa passou a acumular altas de 2,01% em julho e de 11,69% em 2006. O movimento financeiro ficou em apenas R$ 1,079 bilhão.Num dia sem notícias e com baixa liquidez, chamou a atenção dos operadores a nota para clientes do banco HSBC. Conforme noticiou o correspondente João Caminoto, em Londres, o HSBC reafirmou sua recomendação de pesado overweight para o mercado acionário do Brasil. Os estrategistas do banco britânico explicaram que essa decisão é fácil de ser justificada: eles apostam na sustentação do ambiente dos altos preços das commodities e lembram do espaço para mais relaxamento monetário no País.Outro destaque foi a entrevista dada pelo presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli, sobre o plano estratégico da empresa para o período de 2007 a 2011. De acordo com ele, do investimento total de US$ 87,1 bilhões, US$ 17,4 bilhões irão para novos projetos. Ele ainda espera um aumento no consumo de derivados, de 3,1% ante previsão anterior de 2,6%. A Petrobras ainda informou que considera válido o contrato na área de gás com a Bolívia. No encerramento dos negócios, Petrobras PN operava em baixa de 0,44% e as ON caíam 1,57%.Já as ações PN da Varig fecharam em alta 24,25%. O papel refletiu a decisão da Justiça do Rio de marcar para o dia 10 de julho a assembléia de credores que analisará a proposta da VarigLog para compra da empresa. Se tudo der certo, um novo leilão de venda deverá ser feito no dia 12 deste mês.Entre os papéis que compõem o Índice Bovespa, as maiores altas foram Tim Par ON (+3,66%), Telemar Norte Leste PNA (+3,07%) e Eletropaulo PN (+2,79%). As maiores baixas foram Sadia ON (-1,75%), Eletrobrás PNB (-1,74%) e Transmissão Paulista PN (-1,73%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.