Coluna

Fabrizio Gueratto: como o investidor pode recuperar suas perdas no IRB Brasil

Sem novidades, Bovespa fecha estável após sessão volátil

Depois de oscilar entre os territórios positivo e negativo durante boa parte do dia, a Bovespa fechou estável nesta quarta-feira, sem que o noticiário ou novos dados econômicos firmassem uma tendência. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que nesta noite anuncia o novo patamar do juro básico do país, ajudou a impedir apostas mais incisivas pelo mercado. O principal índice de ações da bolsa encerrou aos 38.804 pontos, com oscilação positiva de 0,03 por cento. O volume financeiro ficou em 3,6 bilhões de reais. "Hoje seria um dia de mais realização (de lucro), mas acabou não sendo tão forte assim", afirmou Pedro Galdi, analista de investimentos da corretora SLW, lembrando a alta de mais de 5 por cento na véspera, a segunda maior do ano. Na terça-feira, no entanto, o mercado foi alimentado por declarações do chairman do Federal Reserve, Ben Bernake, e, principalmente, pela notícia de que o Citigroup foi lucrativo no primeiro bimestre do ano. Nesta sessão, foi a vez de o JP Morgan dar a mesma boa notícia, mas ela veio só no final da tarde e não sobrou muito tempo para os investidores a digerirem. COPOM E CHINA DEVEM DAR TOM NA 5a Quanto ao Copom, a expectativa predominante é de um corte de 1,5 ponto percentual da Selic, mas a faixa de apostas vai de 1,0 ponto a 2,0 pontos. Atualmente a taxa está em 12,75 por cento ao ano. Se de um lado uma redução acentuada no juro é uma boa notícia para a bolsa, o motivo pelo qual ela vai acontecer não é. "Não pode esquecer que o corte agressivo é por conta de uma situação macroeconômica muito ruim", disse Carlos Camacho, gestor de renda variável da GAP Asset Management, citando a contração do PIB no quarto trimestre frente aos três meses anteriores. Para Galdi, da SLW, além do Copom, o tom do mercado acionário local deverá ser ditado na quinta-feira por dados econômicos chineses que serão divulgados esta noite, como a produção industrial de fevereiro. "Se os indicadores da China vierem bons, isso vai ter um impacto sobre as commodities metálicas e vai refletir na nossa bolsa aqui", disse Galdi. Nesta sessão, Vale subiu 0,4 por cento, a 27,48 reais, enquanto Petrobras avançou 0,52 por cento, a 27,21 reais. (Por Alexandre Caverni)

REUTERS

11 de março de 2009 | 17h56

Tudo o que sabemos sobre:
BOVESPAFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.