Sem reduzir gastos, crescimento real será ilusão, diz jornal

O jornal Financial Times, ao comentar a ida ao Congresso nesta semana do ministro da Justiça. Márcio Thomas Bastos, e outros recentes episódios da crise política brasileira, observa que os investidores parecem continuar não se preocupando com a situação no País. "A maioria deles está convencida de que o governo é um guardião da ortodoxia fiscal e que a reeleição de Lula vai garantir mais da mesma coisa", disse o jornal em sua edição online. "Outros têm olhado suficientemente perto para notar a precariedade das finanças públicas mas afirmam que a necessidade para ação drástica é tão óbvia e urgente que não existe o risco disso não acontecer. Seria útil eles terem um conversa com o novo ministro da Fazenda, Guido Mantega." O jornal financeiro observa que talvez o governo esteja se mantendo silencioso sobre seus planos para cortar os gastos para não assustar os eleitores. "Parece mais provável que ele acredite em seu próprio lema, ou seja, que nenhum governo nunca fez mais do que esse para colocar o Brasil no patamar do crescimento sustentável", disse. "Mas até que o governo pare de jogar dinheiro fora em aposentadorias excessivamente generosas que não têm condições de arcar e gaste ao invés disso em educação, infra-estrutura e outros motores do crescimento, o crescimento real vai continuar sendo uma ilusão."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.