finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Semana começa bem para Bolsas

Trégua no noticiário sobre crédito nos EUA permite dia de ganhos em NY e SP; Dólar, juros e risco voltam a cair

Claudia Violante, Silvana Rocha e Denise Abarca, O Estadao de S.Paulo

07 de julho de 2031 | 00h00

As Bolsas em Wall Street se recuperaram parcialmente, ontem, amparadas pela queda do petróleo e o noticiário corporativo, após acumularem na semana passada as maiores perdas desde março de 2003. O destaque foi a decisão da GMAC Financial Services de reduzir sua carteira de empréstimos de 2ª linha (subprime) no trimestre. Após computar na semana anterior queda de 4,2%, o Dow Jones subiu 0,70%. A Bovespa deu um salto de 3,12%, para 54.572,6%, depois do tombo de 7,87% nos cinco pregões anteriores. Com vendas de Treasuries, os preços recuaram e as taxas subiram. O juro do T-Note 10 anos foi a 4,812%. O risco Brasil caiu 1,42%, para 209 pontos. Após avançar 1,99% e 2,05% na semana passada, o dólar à vista recuou, nesta ordem, 0,98%, a R$ 1,8755 na BM&F, e 1,00%, a R$ 1,875, no balcão. O juro de janeiro de 2010 cedeu a 11,02%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.