Andre Dusek/Estadão
Andre Dusek/Estadão

Semana começa com expectativa sobre definição de juros nos Brasil e nos EUA

Na quarta-feira, Copom e Fed, o banco central americano, podem anunciar corte nas taxas, como espera o mercado; balanços de grandes empresas brasileiras devem mexer com a Bolsa

O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2019 | 08h55

A semana de virada de mês traz uma agenda pesada para movimentar os negócios, com destaque, no exterior, para a decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e uma nova rodada de negociações comerciais entre Estados Unidos e China, que começa nesta terça-feira, 30, em Xangai. 

No Brasil, o foco fica no desfecho da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, no mesmo dia do Fed, na quarta-feira. O mercado está dividido entre corte de 0,25 ponto porcentual e de 0,50 ponto porcentual da Selic, a taxa básica de juros, que atualmente está em 6,50% ao ano, seu nível mais baixo.

Segue a temporada de balanços

Os investidores devem ficar atentos à divulgação de balanços esta semana, afinal, três blue chips da Bolsa brasileira - empresas cujas ações estão entre as mais comercializadas - apresentarão resultados do segundo trimestre. 

Os relatórios de produção anunciados por Petrobrás e Vale na semana passada, acabaram mexendo negativamente com expectativa do mercado. Os números do Itaú Unibanco também são bastante esperados, já que os resultados de Bradesco e Santander não foram recebidos com muito entusiasmo pelos analistas.

O Itaú divulga seu balanço após o fechamento dos mercados já nesta segunda-feira, 29. Na terça será a vez de CSN, TIM, Lojas Renner, Smiles, CTEEP e Enel.

Na quarta-feira, destaque para o balanço da Vale, após o fechamento dos mercados. No mesmo dia, BR Distribuidora e Duratex divulgam seus resultados. O primeiro dia de agosto começa com o balanço da Gol, pela manhã, e da Petrobrás, à noite. 

Agenda de indicadores

O mercado brasileiro acompanha a divulgação do resultado primário do setor público de junho, ainda na manhã desta segunda, o números do desemprego no País, na quarta-feira, a produção industrial de junho e a balança comercial de julho, na quinta-feira.

Mercado externo

No exterior, os mercados estão cautelosos enquanto aguardam a definição sobre os juros nos Estados Unidos, a expectativa é de corte de 0,25pp, o primeiro em mais de uma década. O governo americano também divulga esta semana o relatório do mercado de trabalho (payroll) de julho, na sexta-feira. 

Na China, está prevista a retomada das negociações comerciais entre EUA e China, a partir de terça-feira em Xangai. 

A expectativa com a decisão do Fed mexe com as Bolsas na Europa, que operam perto da estabilidade, e na Ásia, onde fecharam o dia majoritariamente em queda. / Luciana Xavier, Silvana Rocha, Renato Carvalho e Niviane Magalhães

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.