Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Semana começa fraca na economia

Os indicadores de inflação e de produção industrial que serão divulgados esta semana serão os principais focos de interesse do mercado financeiro. A semana começa com pouca movimentação, por causa do feriado de 4 de julho, Dia da Independência, que paralisa o mercado de ações e de títulos nos Estados Unidos.A redução dos negócios pode abrir espaço para maior volatilidade no mercado.O estrategista-chefe do Banco BNP Paribas Brasil, Alexandre Lintz, diz que é grande a expectativa e o otimismo com os dados de inflação que serão determinantes para o Banco Central iniciar a temporada de redução da taxa básica de juros, hoje em 19,75% ao ano.Ele prevê que, pelo cenário atual, o ciclo de cortes comece em outubro e o juro básico chegue ao fim do ano equilibrado em 18,25% ao ano. "Mas, dependendo do nível de desaceleração apontado pela inflação, os juros podem iniciar a queda antes e em ritmo mais rápido."O indicador mais aguardado por investidores e mercado é a inflação de junho pelo IPCA, referência da política de metas do Banco Central, que será conhecido na sexta-feira.Fora o IPCA, outros dados de inflação serão divulgados ao longo desta semana.Começa nesta segunda, com a pesquisa Focus, que deve continuar apontando revisões para baixo nas estimativas de inflação do mercado; na terça-feira será conhecida a inflação de junho pelo IPC-Fipe; na quinta-feira, o IGP-DI de junho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.