Semana de indicadores tem IPCA e produção industrial

O ano começa de verdade na próxima semana em termos de indicadores macroeconômicos domésticos. Além do IPCA de dezembro e do índice acumulado em 2007, o destaque fica por conta do desempenho da produção industrial de novembro. Além disso, começam a ser conhecidos os primeiros dados de inflação de 2008, que prometem ser um pouco mais salgados do que os dos últimos dois anos por causa de um conjunto de fatores: pressão de alimentação, aumento da demanda e menor benefício do câmbio e dos preços administrados. Por esse motivo, as primeiras pistas podem ser fundamentais na confecção dos cenários dos economistas para preços e, conseqüentemente, do rumo da política monetária.O relatório Focus do Banco Central abre a segunda semana do ano. A expectativa de analistas é de que, além de a pesquisa revelar um consenso maior de que há menos espaço para quedas da Selic do que se imaginava inicialmente, há ainda margem para elevação das estimativas para a inflação de 2008.Também na segunda-feira, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostrará como o Brasil iniciou sua comercialização com o exterior este ano. A expectativa da maior parte dos analistas é a de que tanto as importações quanto as exportações continuem crescendo na primeira semana de 2008, mas, como as compras devem ser maiores do que as vendas, o resultado no decorrer do ano deve ser bem mais fraco do que os US$ 40,039 bilhões vistos em 2007.O indicador mais aguardado da segunda-feira, no entanto, será o da produção industrial de novembro. A maioria dos entrevistados conta com um dado negativo na comparação com outubro, mas eles mesmos já minimizam o resultado que deve vir negativo na margem por conta do menor número de dias úteis do mês - em novembro, a indústria parou em três feriados - em função de um ajuste natural depois de uma elevação significativa de 2,8% em outubro ante setembro.Na Sexta-feira (11), o Banco Central mostrará que, por mais um ano, conseguiu cumprir seu objetivo de levar a inflação para perto da meta de 4,50%. Em 2007, inclusive, o porcentual acumulado deverá situar-se abaixo deste patamar, conforme esperam os profissionais do mercado para o IPCA - até novembro, já registrava taxa de 3,69%. O resultado de dezembro e do ano passado será divulgado pelo IBGE. Antes, na terça (8), a FGV mostrará se o IGP-DI de 2007 (após a divulgação da taxa de dezembro) virá tão alto quanto o IGP-M do mesmo período (7,75%).Os primeiros sinais de como se comportarão os preços neste início de ano também serão conhecidos nos próximos dias. Na terça-feira, a FGV também divulgará o IPC-S da primeira quadrissemana de janeiro. Na quinta, é a vez de a Fipe mostrar como se comportaram os preços na cidade de São Paulo na primeira pesquisa do ano e, na sexta, a FGV volta à cena para trazer o resultado da primeira prévia do IGP-M de 2007.

CÉLIA FROUFE E FLAVIO LEONEL, Agencia Estado

06 de janeiro de 2008 | 11h04

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.