Semana tem eventos de promoção comercial de têxteis em SP

Começa amanhã, terça-feira, em São Paulo, o Brazil Fashion Show, uma série de feiras do setor têxtil que, a partir deste ano, passaram a ser reunidas em um único calendário. Para conhecer os produtos brasileiros, a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit) trouxe 12 importadores de oito países para participar das mostras, que vão até sexta-feira 27. O convite aos importadores é parte da estratégia do setor de ampliar sua participação em mercados externos antes da liberalização das cotas de importação adotadas pelos países industrializados, prevista para janeiro de 2005. Após essa data, o comércio têxtil passa a ser livre e, em consequência, a concorrência entre os exportadores será mais acirrada. A convite da Abit, estão no Brasil compradores de Portugal, França, Estados Unidos, Chile, Argentina, Venezuela, Porto Rico e Uruguai.Segundo dados da Organização Mundial do Comércio (OMC), a eliminação das cotas de importação de produtos têxteis deve elevar o comércio mundial do setor em até US$ 324 bilhões ao ano.A reunião dos principais eventos do setor em uma única semana, sob o guarda-chuva do Brazilian Fashion Show, é uma forma de mostrar aos importadores, em uma única viagem, o que os vários segmentos do setor têm a oferecer. O evento congrega a Texbrasil Fenit e a Fenatec 2003 - Primavera/Verão; o 5º Salão Infanto-Juvenil e Bebê Primavera/Verão; o SIM 2003 - Salão Internacional da Moda; a 10ª Surf & Beach Show / 6ª Beach & Bikini Fashion Show / 5ª Streetwear & Skate Show / 1ª Surf & Beach Tex Preview; a 21ª Feira Internacional do Setor Infanto-Juvenil Bebê; e o Salão de Moda Masculina (até quinta-feira). ResultadosO plano de conquista antecipada de mercados estrangeiros conduzido pela Abit em conjunto com a Agência de Promoção de Exportações (Apex) já se reflete em números. Entre janeiro e maio deste ano, o setor têxtil brasileiro exportou US$ 184,974 milhões para os Estados Unidos, ante US$ 149,378 milhões no mesmo período do ano passado. Para a Argentina, na mesma base de comparação, foram US$ 112,132 milhões em 2003 contra US$ 28,045 milhões em 2002. Para o Chile, houve recuo. Foram US$ 18,850 milhões no primeiro quadrimestre deste ano versus US$ 21,280 milhões de janeiro a maio de 2002. Para Portugal, as exportações somaram US$ 18,402 milhões, contra US$ 14,290 milhões em 2003. Para a França, foram US$ 13,087 milhões ante US$ 9 bilhões.Um acordo do Brasil com a União Européia realizado em 2002 já garantiu o fim das cotas de importação de produtos brasileiros pelos europeus desde o segundo semestre do ano passado. A medida deve permitir que o País conquiste fatias do mercado europeu antes que a liberalização das cotas, em 2005, beneficie concorrentes como Índia, Turquia e China (este, somente em 2007 por conta de acesso mais recente na OMC).A partir de 2005, o País poderá se beneficiar do fim da barreira também para as exportações aos Estados Unidos, mas terá de disputar o benefício com os concorrentes. Por isso mesmo, a Abit tem se antecipado na tentativa de conquistar mercados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.