Seminário em Xangai demonstra interesse de chineses no País

Organizado para 250 pessoas, o evento - que vai ocorrer na próxima quarta-feira - tinha 400 inscritos até sexta-feira

, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2010 | 00h00

O apetite chinês por investimentos no Brasil pode ser medido pelo interesse no seminário sobre oportunidades de negócios no País que será realizado em Xangai na próxima quarta-feira, com a participação do ministro da Fazenda, Guido Mantega.

Concebido para 250 pessoas, o evento tinha 400 inscritos até a tarde de sexta-feira. Segundo a organização, o número pode aumentar no início da semana. "A liquidez do mundo está na Ásia, principalmente na China, e é o momento de apresentarmos as oportunidades de investimentos no Brasil, que está em boa situação econômica", diz o cônsul do Brasil em Xangai, embaixador Marcos Caramuru.

Desde o início deste ano, empresas chinesas anunciaram vários negócios no Brasil, que vão da agricultura à transmissão de energia. O mais recente deles foi a compra de 40% do campo de petróleo Peregrino, na bacia de Campos, pela Sinochem, por US$ 3 bilhões.

Do lado chinês, o seminário terá a participação de Ma Xiuhong, a poderosa vice-ministra do Comércio, responsável pelas negociações comerciais com o Brasil.

Bancos e fundos. Segundo Caramuru, houve grande procura de bancos, fundos de investimento e seguradoras, interessados na primeira parte do seminário, que será dedicada à apresentação da economia e das finanças brasileiras, pelo ministro Mantega, e do mercado de capitais, pelo presidente da BM&F Bovespa, Edemir Pinto.

Dos 400 inscritos até sexta-feira, pouco mais de 300 eram chineses, grande parte ocupantes de cargos de comando nas empresas. Os demais são representantes de empresas brasileiras, incluindo integrantes do Conselho Empresarial Brasil-China.

A segunda etapa do seminário será aberta por Ma Xiuhong e o secretário executivo do Ministério do Desenvolvimento, Ivan Ramalho, que falarão sobre comércio e investimentos no Brasil. Em seguida, o superintendente de Planejamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Cláudio Leal, fará apresentação sobre infraestrutura e inovação. O evento será fechado pelo diretor de relações internacionais da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Roberto Giannetti da Fonseca, que tratará de oportunidades de investimentos no Brasil.

À tarde, será realizado encontro do Conselho Empresarial Brasil-China, que reúne cerca de 60 grandes empresas dos dois países, entre as quais as brasileiras Vale, Embraer e Banco do Brasil e as chinesas Huawei, Sinopec e Baosteel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.