carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Seminário reunirá Lula e representantes de fundos de pensão

Com reforma previdenciária e a formação de poupança entre as suas prioridades e a eterna busca por investimentos estrangeiros de longo prazo, o governo brasileiro vai ter uma participação de peso no 1º Seminário Internacional de Fundos de Pensão, que se realizará no Rio amanhã e quarta-feira. O próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva participará, discursando às 16h30 da quarta-feira, no encerramento. Os ministros da Fazenda, Antonio Palocci, e da Previdência, Ricardo Berzoini, vão abrir o evento, amanhã, às 9h, junto com os presidentes dos três maiores fundos de pensão brasileiros: Sérgio Rosa, da Previ; Wagner Pinheiro, da Petros; e Guilherme Lacerda, da Funcef. Palestras do ministro do Planejamento, Guido Mantega, e do presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles, sobre "Aspectos Macroeconômicos, Cenários e Risco no Brasil", a partir das 18h, fecham o primeiro dia. Amanhã, ao longo do dia, especialistas do Brasil e de outros países vão discutir temas como as experiências internacionais de previdência, as perspectivas de crescimento da previdência complementar fechada e a participação dos movimentos dos trabalhadores nos "processos previdenciários". O diretor do Departamento de Empresas e Crescimento do Tesouro Britânico, John Kingman, por exemplo, falará sobre o papel do investimento institucional no desenvolvimento econômico.Oportunidades de investimento no BrasilO segundo dia do Seminário tratará de oportunidades de investimento no Brasil e investimento socialmente responsável. O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Carlos Lessa, coordenará painel sobre "Investimentos no Brasil: Oportunidades e Critérios de Investimento em Economias Emergentes", a partir das 10h50 da quarta-feira. O ex-secretário do Tesouro dos Estados Unidos Nicholas Brady é um dos palestrantes deste painel. Outro é Sean Harrigan, presidente do Conselho do maior fundo de pensão do mundo, o Calpers, dos professores da Califórnia. O painel seguinte será sobre empresa brasileiras de classe mundial, em que os presidentes das empresas Vale do Rio Doce, Embraer, Petrobrás, Perdigão e Banco do Brasil falarão aos representantes dos fundos de pensão presentes.

Agencia Estado,

26 de maio de 2003 | 15h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.