bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Senado americano atenua protecionismo em pacote

Cláusula exigia que aço ou matéria-prima usada para projetos teriam que ser de companhias americanas

AE-DOW JONES, Agencia Estado

05 de fevereiro de 2009 | 04h51

O Senado dos Estados Unidos aprovou, na noite de quarta-feira, 4, mudança na cláusula "Buy American" (compre americano) incluída no pacote de estímulo econômico. Com a alteração, os senadores buscam atender às preocupações levantadas pelo presidente Barack Obama de que, com a cláusula, o país poderia violar algumas de suas obrigações comerciais internacionais. Veja também:EUA: Senado aprova redução de imposto para imóveis Obama diz que atraso em aprovação de pacote trará catástrofeDe olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise A medida foi incluída no pacote de estímulo de quase US$ 900 bilhões na semana passada pelo senador democrata Daniel Inouye, presidente do Comitê de Apropriações do Senado. Segundo a cláusula, todo o aço ou outra matéria-prima usada para projetos de construção ou reforma criados por meio do pacote de estímulo teria de ser adquirido de companhias americanas. A mesma cláusula foi incluída na versão do pacote da Câmara dos Representantes aprovada na semana passada. Na noite de terça-feira, numa série de entrevistas na televisão, Obama havia manifestado preocupação sobre a medida, na forma em que ela havia sido proposta. "Acho que isso pode ser um erro grave, já que nós estaríamos mandando, num momento de declínio do comércio em todo o mundo, a mensagem de que só estamos olhando para nós mesmos e não estamos preocupados com o comércio mundial", disse Obama ao canal Fox News. Na quarta-feira, o senador democrata Byron Dorgan, um dos principais defensores da proposta, disse que estava trabalhando para encontrar uma solução para as preocupações levantadas por Obama. Uma cópia da emenda que será introduzida por Dorgan ao pacote acrescenta simplesmente a frase de que a cláusula "deve ser aplicada de maneira consistente com as obrigações dos Estados Unidos sob os acordos internacionais." O senador republicano John McCain que também se opôs à cláusula "buy American", apresentou uma emenda para tentar excluí-la do pacote, mas foi derrotado por 65 votos a 31.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAprotecionismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.