Jefferson Rudy/Agência Senado - 17/12/2021
Jefferson Rudy/Agência Senado - 17/12/2021

Senado aprova indicações para BC, Cade e ANA após desfalque em órgãos

Votação ocorreu após o casa segurar as escolhas do presidente para agências reguladoras e órgãos de controle

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2022 | 20h21

BRASÍLIA - O Senado aprovou, nesta quarta-feira, 6, duas indicações do presidente Jair Bolsonaro para o Banco Central, além de uma para o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e outras duas para a Agência Nacional de Águas (ANA)

A votação ocorreu após o Senado segurar as escolhas do presidente para agências reguladoras e órgãos de controle. Bolsonaro só conseguiu destravar o pacote ao dividir os cargos com aliados do Palácio do Planalto e do Congresso, beneficiando o Centrão

Os senadores aprovaram a indicação do economista Diogo Abry Guillen para o cargo de diretor de Política Econômica do Banco Central e de Renato Dias Gomes para a diretoria Organização do Sistema Financeiro e Resolução da autoridade monetária, resolvendo o desfalque do comitê do BC.

O plenário do Senado também deu aval à indicação da advogada Juliana Domingues para o cargo de procuradora-geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Ela fazia parte da assessoria do ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, e agora comandará a Procuradoria-Federal Especializada do Cade (ProCade), responsável por defender o órgão no Poder Judiciário.

Na Agência Nacional de Águas (ANA), as indicações aprovadas foram de Veronica da Cruz Rios, para presidir o órgão, e de Ana Carolina Nascimento de Castro, para compor a diretoria. Até o momento,a agência era dirigida por interinos, o que preocupava o setor por atrasar decisões de interesse do segmento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.