Senado argentino aprova orçamento

O Senado aprovou na noite desta quarta-feira o primeiro Orçamento elaborado pelo governo de Néstor Kirchner, em uma votação que respeitou o texto aprovado pela Câmara dos Deputados, e concede ao Executivo total poder para administrar o gasto público, sem necessidade de consultar o Legislativo. O Orçamento de 2004 prevê um superávit primário de 2,3 bilhões de pesos e gastos em serviços sociais da ordem de 40,392 bilhões de pesos. O Orçamento prevê um aumento de 11,9% em gastos com saúde, educação, ciência, trabalho, assistência social e segurança social. Além disso, projeta um crescimento de 4% do Produto Interno Bruto, uma inflação anual de entre 9 e 11%, dólar estável na casa dos três pesos, arrecadação fiscal de 62,012 bilhões de pesos e gasto de 59,708 bilhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.