finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Senado dos EUA reinicia negociação do teto da dívida

Após o Partido Republicano abandonar a proposta de elevar o teto da dívida do país e reabrir totalmente o governo federal, os líderes do Senado retomaram as negociações nesta terça-feira à noite para solucionar o impasse fiscal norte-americano.

AE, Agencia Estado

16 de outubro de 2013 | 04h17

Os porta-vozes do líder da maioria no Senado, Harry Reid, e do líder da minoria, Mitch McConnell, confirmaram que as negociações foram retomadas.

"O senador Reid e o senador McConnell estão envolvidos nas negociações e estão otimistas de que um acordo está ao nosso alcance", disse o porta-voz de Reid, Adam Jentleson.

O porta-voz de McConnell, Don Stewart, fez uma declaração semelhante. "Após os acontecimentos desta noite, os líderes do Senado decidiram trabalhar em direção de uma solução para reabrir o governo e evitar um default. Eles estão otimistas de que um acordo pode ser alcançado", afirmou.

Enquanto os dois lados pareciam aquém de fechar um acordo nesta terça-feira, relatos indicam que Reid e McConnell estavam perto de fechar um acordo sobre um projeto de lei do Senado que, se aprovado, iria ser votada pela Câmara dos Deputados. O Senado voltará a se reunir ao meio-dia desta quarta-feira.

A decisão abrupta de cancelar a votação da proposta dos republicanos foi um sinal claro de que os republicanos não têm votos suficientes para aprovar o projeto de lei, que manteria o governo aberto até 15 de dezembro e estenderia o limite da negociação do teto da dívida para 7 de fevereiro.

Além do impasse dos EUA, nesta terça-feira, a agência de classificação de risco Fitch Ratings colocou o rating AAA dos EUA em revisão para possível rebaixamento. A perspectiva do rating já era negativa. Reid havia alertado que isso poderia acontecer em breve.

Na terça-feira, o presidente da Câmara, John Boehner, disse a jornalistas que os líderes republicanos estão para encontrar um caminho a seguir. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
euasenadodívida

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.