Senado dos EUA rejeita fim da taxa de importação do etanol

Em dezembro, lei americana prorrogou tarifa de US$ 0,54 por galão até 2009

Agencia Estado

21 de junho de 2007 | 12h49

O Senado americano rejeitou nesta quarta-feira uma proposta de lei para acabar com a tarifa de importação sobre o etanol. O projeto, de autoria do senador republicano Judd Gregg, foi apresentado como emenda à Lei de Energia que está sendo votada, e foi derrotado por 56 votos a 36. "O etanol de milho, produzido no Meio-Oeste, não chega à costa leste do país, por causa de problemas com oleodutos, então precisamos acabar com a tarifa sobre o etanol importado", disse o senador. Uma lei aprovada em dezembro do ano passado prorrogou a tarifa de US$ 0,54 por galão até 2009. A lei de energia prevê que, até 2022, os EUA terão de produzir 36 bilhões de galões de biocombustíveis por ano para substituir a gasolina. "Com toda essa demanda, não há porque os estados do meio-oeste se sentirem ameaçados pelo etanol importado".Judd apelou até para segurança nacional. "Ao retirar a tarifa de US$ 0,54 do etanol brasileiro, vamos reduzir nossa dependência de petróleo da Venezuela ou Oriente Médio - e eu, pessoalmente, prefiro comprar do Brasil do que da Venezuela ou Oriente Médio", argumentou, mas sem sucesso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.