Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Senado fará audiência para discutir exploração de petróleo

Comissão de Ciência e Tecnologia vai convocar os ministros Lobão ou Dilma e o presidente da Petrobras

Leonardo Goy, da Agência Estado,

13 de agosto de 2008 | 19h17

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou a convocação de uma audiência pública para discutir o modelo da futura exploração dos campos petrolíferos gigantes da chamada camada do pré-sal. O requerimento, de autoria do senador Gim Argello (PTB-DF), foi aprovado nesta quarta-feira, 13, pela comissão. Veja também:Entenda as discussões sobre as mudanças na Lei do Petróleo Maldição do petróleo não atingirá o Brasil, diz DilmaLula diz que petróleo da área pré-sal é do povoAcionistas da Petrobras ameaçam ir à Justiça contra 'Petrosal'País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundoA maior jazida de petróleo do País O senador disse que pretende realizar a audiência no dia 10 de setembro. Serão convidados o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, ou a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff. Além deles, Argello disse que pretende convidar o presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, e empresários do setor privado que atuam na área petrolífera, como Eike Batista. Argello e o presidente da Comissão, Wellington Salgado (PMDB-MG), disseram que a comissão pretende discutir as propostas do governo para mudar o marco regulatório do petróleo. Ontem, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a pedir a ajuda dos militantes da União Nacional dos Estudantes (UNE) para aprovar mudanças na Lei do Petróleo. "Queremos esclarecer tudo. A parte técnica da exploração do pré-sal e as mudanças no marco regulatório, incluindo a proposta de criação de uma nova estatal", disse Salgado, mencionando a proposta, defendida pelo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, de criar uma nova estatal, 100% pública, para administrar os contratos de exploração do pré-sal.

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoPré-Sal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.