Senado vota projetos que podem substituir acordo

O Senado terá trabalho redobrado no fim de semana nas discussões de dois projetos relativos ao aumento do teto para a dívida pública. Seu presidente, o democrata Harry Reid, pretende enterrar o projeto aprovado pela Câmara nesta semana e aprovar outra proposta para o caso de não haver tempo para a Casa Branca fechar um acordo com os republicanos até o próximo dia 2 sobre a redução da dívida e o equilíbrio das contas públicas.

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2011 | 00h00

Com maioria democrata, o Senado deverá facilitar a tramitação das propostas de interesse da Casa Branca. O projeto da Câmara dos Deputados representa tudo o que é considerado inaceitável pelo presidente dos EUA, Barack Obama. Prevê um corte imediato nas despesas públicas de US$ 111 bilhões e o contingenciamento de gastos equivalentes a 19,9% do Produto Interno Bruto (PIB) americano - atualmente, algo como US$ 2,8 trilhões. O texto permite o aumento do teto para a dívida, mas emenda a Constituição para impedir a Casa Branca de aumentar os tributos.

Reid também terá a tarefa de aprovar uma proposta do senador Mitch McConnell, em cujos termos conseguiu interferir. O projeto eleva o teto da dívida pública em US$ 2,5 trilhões e prevê um corte de US$ 1,5 trilhão nas despesas públicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.