Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Estadão
Estadão

Senador critica equipe econômica e cita 'Os Três Porquinhos'

Na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, o senador Walter Pinheiro (PT-BA) recorre ao conto infantil para confrontar o trio Nelson Barbosa, Alexandre Tombini e Joaquim Levy

NIVALDO SOUZA, CÉLIA FROUFE E ANNE WARTH, Estadão Conteúdo

17 de março de 2015 | 14h58

(Atualização às 20h30)

O senador Walter Pinheiro (PT-BA) criticou hoje a linguagem utilizada pela equipe econômica - formada por Alexandre Tombini (Banco Central), Joaquim Levy (Fazenda) e Nelson Barbosa (Planejamento) - na defesa do ajuste fiscal. 

Em audiência de Barbosa na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, o petista recorreu à história infantil dos "Três Porquinhos" para pedir mais clareza no discurso do trio. 

"Se eu for conversar com essa minha neta, até minha netinha mais velha, Júlia, de dois anos e onze meses, se eu for contar a história dos Três Porquinhos a ela nessa formatação, eu diria, num linguajar tão difícil, vai ser muito difícil minha netinha entender", disse.

O senador iniciou sua fala dizendo que abordaria um "ponto que quero colocar para provocar o ministro". Pinheiro negou, depois da audiência, que tenha tido qualquer intenção de comparar os ministros aos personagens infantis. 

A alcunha corre à boca pequena em Brasília e a pronúncia por Pinheiro foi a primeira vez na frente de um dos integrantes da equipe econômica. Ao fazer uma pergunta a Barbosa, Pinheiro criticou o "discurso hermético" usado pelos ministros responsáveis pela economia do governo Dilma Rousseff. O ministro não reagiu à crítica nem respondeu ao senador.

Ele cobrou mais clareza na defesa do ajuste fiscal para a população. "Não dá para a gente vir de uma forma tão hermética e formal, tentando contar uma história do passado. Todos nós reconhecemos o esforço do governo, reconhecemos as políticas econômicas, e que é necessário inclusive, agora, partir para uma outra etapa", disse. "É necessário contar essa história, enxergando a realidade de cada Estado, de cada país, de cada momento", completou. 

Taxa Selic. Durante a audiência de Barbosa, o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) criticou os aumentos sucessivos na taxa básica de juros (Selic) pelo Banco Central para controlar a inflação. O senador petista disse que o momento não é adequado para elevar a Selic.

"Me parece contrassenso total a gente continuar aumentando a taxa de juros, parece que não estamos percebendo a retração da atividade econômica", disse. O senador cobrou, ainda, a função de "animar a economia" por parte de Barbosa, após afirmar que o "problema fiscal ocorreu porque aceleramos desonerações e tivemos PIB negativo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.