Senador dos EUA quer discutir tarifas para etanol do Brasil

O senador republicano Richard Lugar apresentou na quarta-feira, 28, um projeto intitulado Pacto de Cooperação Energética Estados Unidos-Brasil 2007, que estabelece a produção de biocombustíveis, pesquisas na área de etanol celulósico e aprimoramentos na área de infra-estrutura.O projeto do senador pelo Estado da Indiana propõe, entre outros temas, um estudo sobre o impacto político e econômico das tarifas de US$ 0,54 que os Estados Unidos cobram sobre o etanol que importam e o impacto que teriam a derrubada da taxa ou sua modificação. Há poucos dias, pouco antes de apresentar o pacto de cooperação, em entrevista à BBC Brasil, Lugar demonstrou ceticismo em relação à hipótese de o Congresso americano aprovar a redução das tarifas."No momento, as discussões sobre esse tema não vão particularmente bem, porque o presidente do Comitê de Finanças (Max Baucus, um democrata de Montana) já deixou claro que eles se opõem a essa idéia. E não haverá uma legislação sobre o tema no curto prazo", afirmou Lugar.Mas o senador acrescentou que "ainda assim, a viagem do presidente Bush ao Brasil foi importante, porque ajuda a construir uma base de entendimento que será imperativa se quisermos mudar a questão das tarifas".Voz solitáriaO Estado de Lugar, Indiana, é um dos principais produtores americanos de milho e de etanol. Um dos maiores opositores do intento do senador é seu colega de partido Charles Grassley. O senador representa o Iowa, o maior produtor do cereal e de etanol nos Estados Unidos. Lugar disse ter mantido "uma conversa amigável com o outro único fazendeiro do Senado", mas receia "que talvez nunca consiga" convencer Grassley sobre a necessidade de baixar as tarifas. O senador por Iowa argumenta que a queda das taxas poderá afetar a indústria americana que, segundo ele, ainda está em seus estágios iniciais. O projeto também conta com a oposição de diversos democratas, como o senador Barack Obama, que foi um dos signatários da proposta que manteve as tarifas em vigor até 2009. Outro destacado democrata contrário à proposta é o senador Evan Bayh, que também vem de Indiana. Bayh disse à BBC Brasil que baixar as tarifas "é possível, mas o ideal é que isso ocorra no futuro". "Como você sabe, a produção de etanol brasileira é subsidiada pelo Brasil. Quando a nossa indústria estiver preparada, essas coisas poderão ser colocadas de lado", acrescentou Bayh.Mais propostasO pacto apresentado por Lugar propõe que a cooperação entre os dois países possa "deter a manipulação política de petróleo". Políticos americanos vêm acusando o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, de comprar favores de outros países latino-americanos através de ajuda financeira custeada por petrodólares venezuelanos.O custo total do projeto do senador é da ordem de US$ 59 milhões. E ele espera que o pacto seja aprovado até 2008.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.