Senador quer investigação

Marconi Perillo vai pedir ajuda ao Ministério Público

Leonardo Goy, O Estadao de S.Paulo

25 de outubro de 2007 | 00h00

O presidente da Comissão de Infra-Estrutura do Senado, Marconi Perillo (PSDB-GO), disse ontem que vai apresentar requerimentos ao Tribunal de Contas da União e ao Ministério Público Federal (MPF) para que esses dois órgãos investiguem a empresa espanhola OHL e o leilão de rodovias realizado pelo governo no dia 9 deste mês.A OHL foi a principal vencedora da disputa: arrematou cinco dos sete trechos oferecidos, inclusive as rodovias Fernão Dias (São Paulo-Belo Horizonte) e Régis Bittencourt (São Paulo-Curitiba).O senador tomou essa atitude devido à reportagem publicada na edição de ontem do diário espanhol El Pais, segundo a qual a OHL pode sofrer uma ''''chuva de processos'''' por não entregar obras no prazo estipulado. ''''Temos de investigar, pois é preciso saber se a empresa tem condições de assumir essas importantes estradas brasileiras'''', disse.Perillo anunciou que pediria essa investigação durante sessão do plenário do Senado. Depois disso, o assunto continuou sendo debatido por senadores do governo e da oposição.Na base aliada do governo, a notícia sobre os problemas da OHL na Espanha foi recebida com cautela. O senador Delcídio Amaral (PT-MS) disse que assunto precisa ser analisado. ''''Precisamos olhar isso com muito cuidado. Esse leilão trouxe uma grande expectativa aqui no Brasil'''', disse.A OHL apresentou propostas ousadas no leilão. Para vencer a disputa pela Fernão Dias, por exemplo, a empresa apresentou um deságio de 65,4% em relação à tarifa mínima e se comprometeu a cobrar dos veículos de passeio R$ 0,997 por praça de pedágio. Os preços reduzidos dos pedágios foram amplamente comemorados pelo governo.A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) deve concluir na próxima sexta-feira a homologação do resultado do leilão. A agência analisa a viabilidade das propostas comerciais apresentadas pelas empresas vencedoras.Na semana passada, um dos consórcios que participou da disputa, o PR/SC, levantou dúvidas sobre a viabilidade das propostas apresentadas pela OHL em três dos cinco lotes arrematados: na Fernão Dias, na Régis e na interligação Curitiba-Florianópolis.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.