coluna

Louise Barsi explica como viver de dividendos seguindo o Jeito Barsi de investir

Senadores dos EUA chegam a acordo sobre pacote anticrise

Plano de recuperação econômica de Obama pode ir a votação nos próximos dias e prevê mais US$ 780 bilhões

Agências internacionais,

07 de fevereiro de 2009 | 04h10

Depois de dias de intensos debates, senadores dos Estados Unidos chegaram a um acordo sobre o plano bilionário de recuperação econômica enviado ao Congresso pela Casa Branca na madrugada deste sábado, 7. Líderes da maioria democrata na Casa disseram ter concordado com um pacote da ordem de US$ 780 bilhões para tentar ganhar o apoio dos republicanos. Antes, os democratas apoiavam um pacote de mais de US$ 900 bilhões.   "Estamos satisfeitos de que o processo está caminhando e que estamos próximos de chegar a um plano que criará milhões de empregos e levará as pessoas de volta ao trabalho", disse o porta-voz da Casa Branca Robert Gibbs. Com os Estados Unidos no topo da pior crise econômica em mais de 70 anos --um relatório na sexta-feira mostrou que quase 600 mil postos de trabalho foram perdidos em janeiro-- Obama pediu que o plano seja colocado na mesa até 16 de fevereiro.   Vitória de Obama   O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, conseguiu uma vitória com o acordo alcançado entre os senadores democratas com um pequeno grupo de republicanos para o pacote de estímulo econômico, no momento em que o país perdeu mais de meio milhão de empregos. "O povo americano quer que trabalhemos juntos. Ele não quer nos ver divididos por linhas partidárias na mais séria crise enfrentada pelo país", disse senadora Susan Collins, de Maine, uma das três republicanas moderadas a pedir votos para o pacote.   Líderes democratas expressaram confiança de que as concessões que fizeram aos republicanos e democratas moderados ajudou a liberar o caminho para aprovação. Nenhuma votação final é esperada antes de segunda-feira. São necessários pelo menos 60 votos para que a legislação seja aprovada, o que faz com que os democratas, que têm a maioria na Casa, precisem do apoio de ao menos dois senadores republicanos para que isto aconteça.   Acordo Segundo o líder do Comitê de Finanças, senador Max Baucus, pelo menos três republicanos já teriam declarado que irão votar a favor do projeto. O líder dos republicanos na Casa, senador Mitch McConnell, no entanto, afirmou que a maioria dos senadores de seu partido não está convencida de que o pacote irá estimular a economia do país. Mesmo se o projeto passar pelo Senado, as diferenças com o pacote aprovado na semana passada pela Câmara dos Representantes precisarão ser resolvidas por uma comissão bicameral, antes que ele passe por uma votação final. O anúncio do acordo no Senado foi feito horas depois de Obama ter criticado a demora na aprovação do pacote, afirmando que mais adiamentos seriam "indefensáveis e irresponsáveis". Obama deu as declarações depois que foram divulgados dados que mostram que quase 600 mil americanos perderam seus empregos no mês de janeiro, o pior índice em 34 anos.   Texto ampliado às 9h42 para acréscimo de informações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.