Senadores dos EUA criticam plano de redução de subsídios

Parlamentares ameaçam votar contra qualquer acordo em Doha que inclua corte profundo nos subsídios

Missy Ryan, da Reuters,

21 de setembro de 2007 | 09h27

Um grupo bipartidário de senadores norte-americanos fez um apelo ao governo do presidente George W. Bush para que rejeite profundos cortes nos subsídios ao algodão do país nas negociações sobre o comércio mundial, e prometeram se opor a qualquer acordo com grandes reformas nos subsídios. "Não podemos abandonar um grupo de agricultores que têm de operar dentro dos parâmetros de um programa escrito para obedecer (às regras comerciais existentes)", disse o senador Saxby Chambliss, do Estado da Geórgia, junto a outros seis parlamentares do sul do país, em carta enviada na quinta-feira à representante comercial dos EUA, Susan Schwab.  "Tratar o algodão diferentemente de todos os outros produtos agrícolas nas negociações de Doha vai abalar ainda mais o apoio do Congresso dos Estados Unidos à OMC (Organização Mundial do Comércio) e à agenda comercial do governo", escreveu Chambliss, principal republicano do Comitê de Agricultura do Senado.  Eles ameaçaram votar contra qualquer acordo na Rodada Doha da OMC que inclua uma recente proposta de reduzir os subsídios ao algodão em 80%, nível muito maior do que o das reduções para outros produtos.  Esse plano, sugerido em julho pelo chefe das negociações agrícolas da OMC, atende a exigências de países africanos produtores de algodão, que argumentam que os subsídios norte-americanos depreciam os preços do produto e tornam impossível a competição para os agricultores desses países pobres.

Tudo o que sabemos sobre:
Rodada DohaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.