Senadores vão questionar diretoria do BC sobre juros

O presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, Aloizio Mercadante (PT-SP), disse nesta segunda-feira que a Casa irá questionar a condução da política monetária administrada pela diretoria do Banco Central, em sabatina que ocorrerá amanhã no Senado. Segundo ele, haverá questionamentos a respeito dos motivos que levaram o Comitê de Política Monetária (Copom) a diminuir o ritmo de queda dos juros em sua última reunião. "Cada partido tem uma avaliação da política econômica. Mas amanhã haverá uma avaliação do trabalho do Banco Central na condução da política monetária", afirmou Mercadante. "Seguramente, as últimas reuniões do Copom vão ser discutidas. E a última, de forma mais específica", acrescentou.Na avaliação de Mercadante, havia espaço para uma queda maior dos juros na reunião passada, devido à ausência de pressões inflacionárias e ao patamar do risco País, o menor da história."É verdade que os Estados Unidos decidiram não aumentar sua taxa de juros somente após a reunião do Copom. Mas tudo indica que havia espaço para uma queda mais expressiva da taxa de juros brasileira", afirmou.QuestionamentoNa avaliação do senador, por ser o Senado quem aprova os nomes para a diretoria do Banco Central, é direito dos senadores questionar a maneira como o BC vem conduzindo a política monetária."A meta de inflação está sendo cumprida? A inflação verificada estava abaixo da meta, como hoje está bem abaixo da meta? Isso significou uma taxa de juros muito elevada? Acima do que seria necessário para cumprir a meta? Isso prejudicou o crescimento da economia? Esse é o debate que a comissão quer fazer: como crescer com estabilidade e controle da inflação", adiantou o senador.Mercadante assegurou que será um debate aprofundado e que promete uma sabatina longa, com a presença de todos os partidos e de toda a diretoria do Banco Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.