Sensores economizam eletricidade no prédio

Mais do que a redução de custo no orçamento mensal, economizar energia elétrica hoje é um apelo que o governo está fazendo constantemente para o País não sofrer com um colapso. Na Expo Síndico, feira voltada para síndicos, administradores e outros profissionais de edifícios, que se encerra hoje, algumas empresas apresentam soluções para reduzir o consumo de energia elétrica em condomínios. Dos equipamentos apresentados na feira, a maioria consiste em sensores que detectam movimento ou presença. São como interruptores que funcionam da seguinte maneira: se houver pessoas ou carros em movimento em um determinado espaço, a luz se acende; com a saída, apaga-se automaticamente.Equipamentos A empresa Novaluz, por exemplo, desenvolveu um equipamento que tem a capacidade de detectar movimento num raio de 360 graus, numa área de 10 metros de diâmetro por 5 de extensão. "Ele pode ser aplicado em qualquer tipo de luz", avisa a diretora-administrativa da Novaluz, Maria Irene Almeida Silva Souza. O equipamento custa a partir de R$ 78. O custo da instalação em um edifício com dez andares, por exemplo, fica em torno de R$ 1 mil. "Mas o orçamento é personalizado, cobrado de acordo com a necessidade de cada espaço", avisa. De acordo com experiências desenvolvidas pela empresa, a redução do consumo de energia elétrica chega a 90%.A Alfatronic é a distribuidora oficial do Smart House. Com esse sensor, caso a opção seja pelo modelo de parede, o alcance de presença e movimento é de 120 graus; já o do teto, 360 graus, ambos em um espaço de 4 metros de extensão por 8 de diâmetro. De acordo com o gerente comercial Rubens Aliprandi, o equipamento na loja custa em torno de R$ 40,00 e a média de preço cobrada pelos instaladores é de R$ 50,00.A Flash Automação fabrica, comercializa e instala três tipos de sensores para espaços comuns dos condomínios, inclusive garagens. O custo para a instalação de 15 sensores numa garagem com 50 metros por 40 sai por cerca de R$ 2.500. "Em pouco tempo o investimento é pago, pois, garanto no mínimo 60% de economia com energia elétrica", afirma o engenheiro da Flash, Marcio Missao Barbazono.Fora do segmento de sensores, o equipamento redulight, vendido pela empresa Resolight, proporciona economia de energia elétrica de uma forma indireta. "Trata-se de um filtro que estabelece a freqüência e faz correção nas interferências elétricas", diz a diretora Nair Scarpione. Ele reduz significativamente a queima de lâmpadas e aumenta a vida útil dos equipamentos eletroeletrônicos. "A redução de consumo de energia, em determinadas regiões, varia de 14% a 25%", diz. O investimento em um prédio com em média 60 apartamentos fica em torno de R$ 1.300.Consumidor deve fazer inspeção antes O gerente da Eletropaulo alerta ao consumidor que, antes de comprar qualquer tipo de equipamento, deve fazer uma inspeção da qualidade das instalações elétricas de suas residências e edifícios. "Se as instalações forem velhas, o equipamento poderá não reduzir o consumo", explica Sigoli.A Eletropaulo realiza constantemente campanhas de conscientização para economizar energia elétrica. As pessoas interessadas em fazer um diagnóstico energético nos condomínios residenciais podem entrar em contato com a empresa, que fornecerá orientação de como contratar um profissional do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.