Marcos Corrêa/PR
Marcos Corrêa/PR

S&P acredita em força do governo para aprovar reformas

Previdência é emblemática para governo atacar e reduzir pontos de rigidez de despesas, diz diretora-executiva de rating soberano da S&P

Ricardo Leopoldo, O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2017 | 15h35

NOVA YORK - A diretora-executiva de rating soberano da S&P Global Ratings, Lisa Schineller, afirmou em teleconferência que, como há a perspectiva de avanço da reforma da Previdência Social no parlamento, a nota soberana do Brasil não foi rebaixada.

+Governo eleva rombo das contas para R$ 159 bi e anuncia pacote de medidas

"Continuamos a ver força do governo para aprovar reformas" na Câmara e no Senado, destacou Lisa. "Os compromissos do governo e do Congresso indicam que haverá avanço da reforma da Previdência. Esperamos progresso dessa reforma." Ela destacou que colabora para estas mudanças o fato que já ocorre estabilidade política em Brasília.

Segundo Lisa, a reforma da Previdência é emblemática para governo atacar e reduzir pontos de rigidez de despesas. Contudo, há riscos para não aprovação de reformas, apontou. Ela referia-se a eventual leniência do Poder Executivo para levar adiante a mudança estrutural do sistema de benefícios de aposentados ou fim do comprometimento do Congresso para aprová-la. 

"Um grande desafio do Brasil está relacionado à questão fiscal de governo federal com Estados", destacou. Para ela, a correção das contas  públicas, no geral, é uma tarefa para alguns governos, o que levará vários anos "Os desafios da economia levam a crer que superávit primário será atingido em 2020", apontou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.