Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

S&P corta nota do Rio pela terceira vez no ano e Estado entra em 'calote seletivo'

Agência rebaixou a classificação para SD pela falta de pagamento de uma dívida de US$ 46 milhões com o Banco Interamericano de Desenvolvimento

Flavia Alemi, O Estado de S.Paulo

19 Setembro 2016 | 21h19

A agência de classificação de risco Standard & Poor's (S&P) rebaixou o rating global do Estado do Rio de Janeiro de CCC- para SD. A nota na escala nacional também caiu de brCCC- para SD. 

A sigla indica "calote seletivo" e expressa o atraso do pagamento de uma dívida de US$ 46 milhões entre o Rio e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Já que o contrato não cita um período de carência, a S&P adotou critério próprios para considerar o default seletivo. A agência dá um prazo de 5 dias úteis para que a dívida seja saldada. Passado esse período, decide pelo rebaixamento do rating.

"Caso o Estado quite essa dívida, poderemos elevar o rating, desde que não haja atraso do pagamento de outras dívidas e dependendo da nossa avaliação sobre o perfil geral de crédito do Rio", diz a nota da S&P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.