Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

S&P corta rating da França de ‘AA+’ para ‘AA’

A agência de classificação de risco se mostrou preocupada com a dificuldade do governo francês em reduzir significativamente os gastos

Agência Estado,

08 de novembro de 2013 | 06h57

A agência de classificação de risco Standard & Poor''s rebaixou o rating da França para AA, de AA+. A perspectiva é estável, segundo a S&P. A S&P disse que as reformas tributárias do governo francês, bem como para os mercados de trabalho, de produtos e de serviços, dificilmente aumentarão substancialmente as projeções de crescimento no médio prazo.

"Além do mais, nós vemos a flexibilidade fiscal da França limitada por sucessivas medidas do governo para aumentar os já elevados níveis tributários." A S&P também alertou para a inabilidade do governo para reduzir significativamente os gastos totais.

O alto desemprego também está enfraquecendo o apoio para medidas fiscais e estruturais significativas, disse a agência. Segundo comunicado publicado pela S&P, as medidas que o governo implantou desde a última afirmação de rating, em novembro de 2012, não reduziram significativamente o risco da taxa de desemprego permanecer acima de 10% até 2016.

"Em nossa visão, os atuais níveis de desemprego estão enfraquecendo o apoio para mais medidas fiscais e reformas microeconômicas, e estão deprimindo as perspectivas de crescimento de longo prazo", afirmou a agência, que prevê um crescimento real próximo a zero neste ano, seguido por uma recuperação cíclica para uma média próxima a 1% entre 2014 e 2015.

A perspectiva estável sugere uma probabilidade de alteração no rating da França em menos de uma em três no prazo de dois anos. O cenário estável reflete a expectativa de que o governo está comprometido em limitar a dívida líquida do governo geral, que deve atingir o pico de 86% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2015, disse a S&P.

Defesa. O ministro das Finanças da França, Pierre Moscovici, criticou a decisão da Standard & Poor de cortar o rating de crédito da França. Moscovici disse que a decisão foi baseada em julgamentos "imprecisos".

Além disso, o ministro francês afirmou que mesmo com a redução, o rating da França continua entre os mais altos. Em um comunicado, Moscovici disse que lamenta críticas "imprecisas" feitas pela S&P na redução do rating de longo prazo da França em um nível de AA+ para AA.

O ministro rejeitou a análise da S&P de que o apoio às reformas fiscal, estrutural e política está enfraquecendo."Nunca antes um governo realizou tantas reformas em tão curto período de tempo e em um ambiente tão desafiador", afirmou Moscovici.

O ministro também disse que a dívida francesa "continua entre as mais seguras e mais líquidas dentro da zona euro". Fonte: Dow Jones Newswires

Tudo o que sabemos sobre:
FrançaratingS&P

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.