S&P mantém nota de grau de investimento do Brasil

Agência de risco avalia que recuperação econômica permitirá ao país melhorar situação fiscal e de crédito

Danielle Chaves, da Agência Estado,

08 de dezembro de 2009 | 18h01

A agência de classificação de risco de crédito Standard & Poor''s reiterou os ratings BBB- para o crédito soberano em moeda estrangeira de longo prazo e A-3 para o crédito soberano em moeda estrangeira de curto prazo do Brasil. A perspectiva dos ratings permanece estável.

 

"A forte recuperação econômica do Brasil vai apresentar aos formadores de política uma oportunidade para melhorar a posição de crédito do governo consolidando sua situação fiscal, mantendo a inflação sob controle e promovendo o desenvolvimento de investimentos privados no médio prazo", afirmou Sebastian Briozzo, analista de crédito soberano da S&P, em comunicado divulgado esta tarde.

 

A classificação de risco é uma ferramenta usada pelos investidores estrangeiros na hora de decidir em que país irão colocar suas aplicações. Ela reflete o risco que um país tem de não honrar o pagamento de seus títulos. Quanto melhor é a avaliação, menor é o risco e, portanto, maior é a capacidade do país de atrair investimentos.

 

A partir de um determinado patamar de classificação de risco o país é considerado "grau de investimento". Ou seja, o risco de calote é muito baixo. Muitos fundos de investimento estrangeiro direcionam recursos apenas para países que têm esta classificação. Com informações da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.