S&P rebaixa nota de classificação de risco do México

A agência de classificação de risco de crédito Standard & Poor''s Ratings Services rebaixou o rating de crédito soberano em moeda estrangeira do México de BBB+/A-2 para BBB/A-3 e o rating de crédito soberano em moeda local de A+/A-1 para A/A-1. A agência também disse que rebaixou a avaliação de transferência e conversibilidade do México de A+ para A. Além disso, a S&P reafirmou o rating escala nacional do país em mxAAA/Estável. A perspectiva sobre os ratings é estável.

SUZI KATZUMATA, Agencia Estado

14 de dezembro de 2009 | 18h58

"Os rebaixamentos refletem nossa avaliação de que as recentes medidas do México para elevar a receita, excluindo o petróleo, e para melhorar a eficiência de sua economia provavelmente serão insuficientes para compensar o enfraquecimento de seu perfil fiscal", explicou a analista de crédito da S&P Lisa Schineller. "Este enfraquecimento tem origem na combinação de uma modesta perspectiva de crescimento do PIB e redução da produção de petróleo ao longo dos próximos anos", acrescentou.

A S&P destacou que apesar das recentes medidas do governo mexicano para aumentar impostos e melhorar as perspectivas de crescimento, "esperamos que os desafios fiscais do México vão persistir ao longo dos próximos anos". "Além disso, as perspectivas para uma substancial reforma fiscal ou outras medidas para fortalecer o crescimento do PIB na segunda metade da administração do presidente Felipe Calderón estão, na nossa avaliação, diminuindo", segundo a analista.

"A perspectiva estável (sobre os ratings) reflete os indicadores fiscal e externos que são consistentes com a média BBB, a ausência de desequilíbrios macroeconômicos na economia mexicana e o compromisso do governo mexicano com a estabilidade macroeconômica", de acordo com Schineller. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.