S&P reitera notas de crédito de Portugal, mas alerta para possível rebaixamento

Agência pode diminuir ratings de longo e curto prazo se o país não fizer cortes nos déficits

Danielle Chaves, da Agência Estado,

26 de março de 2010 | 11h37

A agência de classificação de risco Standard & Poor's reiterou os ratings de crédito soberano A+ de longo prazo e A-1 de curto prazo em moeda estrangeira e local de Portugal. A perspectiva negativa foi mantida. No entanto, a S&P observou que um rebaixamento do país é possível caso cortes nos déficits não sejam adotados.

 

"A perspectiva é negativa por causa do maior potencial de um rebaixamento caso os déficits e os níveis de dívida de Portugal excedam nossas expectativas atuais e se as medidas de consolidação não forem implementadas", afirmou Kai Stukenbrock, analista da S&P, em relatório.

 

"Isso pode resultar de problemas com a implementação da política, se o governo for incapaz de obter suporte da oposição, como esperado. A consolidação fiscal também pode ser prejudicada por taxas de crescimento fracas, em razão de riscos estruturais relacionados às perspectivas de crescimento de Portugal", acrescentou.

 

Ontem o parlamento português aprovou um plano de consolidação de médio prazo que pretende cortar o grande déficit do governo para menos de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país até 2013. A S&P não espera que essa meta seja atingida e projeta déficit de 3,8% do PIB em 2013.

 

O relatório da S&P foi divulgado dois dias depois de outra agência de classificação de risco, a Fitch Ratings, rebaixar Portugal de AA para AA- por causa do déficit orçamentário de 2009, que foi bem maior do que o previsto pela agência. A Fitch também alertou para novos rebaixamentos caso o governo mude sua estratégia fiscal. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.