Ser Educacional avança no Norte com aquisições

Em sua segunda aquisição após abrir capital, grupo anunciou a compra de instituições de ensino superior privado no Pará por R$ 151 milhões

Eulina Oliveira, O Estado de S.Paulo

20 de maio de 2014 | 02h10

Com a meta de crescer nas regiões Norte e Nordeste, o grupo Ser Educacional, que abriu o capital no fim do ano passado, anunciou, ontem, mais uma aquisição. A empresa, com sede em Recife, fechou a compra integral da União de Ensino Superior do Pará (Unespa) e do Instituto Santareno de Ensino Superior (Ises), ambos localizados no Estado do Pará, por R$ 151,2 milhões. Essa é a segunda - e maior - aquisição da companhia desde a oferta pública de ações.

A Unespa mantém a Universidade da Amazônia (Unama) e o Ises detém as Faculdades Integradas Tapajós (FIT). Com cerca de 12,2 mil alunos, essas duas instituições faturaram, juntas, no ano passado, R$ 109,6 milhões e registraram lucro operacional de R$ 11,4 milhões. Elas oferecem mais de 30 cursos diferentes, em quatro campi, na região metropolitana de Belém, Ananindeua e Santarém.

"Aproximadamente 11% da base de alunos utiliza o Fies (programa de financiamento estudantil do governo federal), o que demonstra potencial de crescimento quando comparado a 44 % da base da Ser Educacional", disse a companhia em fato relevante.

Após a aquisição, que ainda está sujeita a algumas condições contratuais, o grupo Ser Educacional contará com 125,7 mil alunos (96,6 mil de graduação e 8,7 mil de pós-graduação), 19,7 mil cursos técnicos e 0,7 mil cursos de ensino à distância. Serão 29 unidades, em 20 cidades.

Consolidação. Em janeiro, deste ano, o Ser Educacional comprou a Associação de Ensino Superior Anglo Líder, mantenedora da Faculdade Anglo Líder - FAL, localizada no município de São Lourenço da Mata, no Estado de Pernambuco. O negócio custou R$ 2,1 milhões ao grupo fundado pelo empresário Janguiê Diniz, que faturou R$ 566,3 milhões em 2013.

Foi com aquisições que o fundador da Ser Educacional conseguiu transformar sua empresa em uma das maiores instituições particulares de ensino da região Nordeste, mesmo antes da abertura de capital. Desde a fundação, em 2003, foram 15 compras. A empresa ganhou fôlego, em 2008, ao atrair o fundo americano Cartesian Capital Group, que por R$ 48 milhões comprou 11,3% do grupo. Na oferta de ações, emoutubro do ano passado, a Ser Educacional levantou R$ 619 milhões.

O anúncio das aquisições no Pará ocorreu apenas alguns dias após o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovar, com restrições, a fusão da Kroton com a Anhanguera. A união das duas companhias vai criar a maior empresa de ensino privado do Brasil. No fim do ano passado, a Estácio, do Rio, comprou a Uniseb, dando sinais de que a consolidação no setor continuaria aquecida.

Um dos maiores negócios anunciados neste ano foi a compra da Universidade São Judas pela Anima, no mês passado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.