Ser Educacional lança marca para Sul e Sudeste e anuncia entrada em Minas Gerais

carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Ser Educacional lança marca para Sul e Sudeste e anuncia entrada em Minas Gerais

Grupo fará sua estreia no Estado de Minas Gerais com uma nova marca, a Univeritas

Dayanne Sousa, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2016 | 09h53

SÃO PAULO - Conhecida por sua presença nas regiões Norte e Nordeste, a Ser Educacional fará sua estreia no Estado de Minas Gerais com uma nova marca, a Univeritas. A operação na capital Belo Horizonte foi viabilizada porque a Ser Educacional assumiu uma instituição que tinha autorização do Ministério da Educação (MEC) para atuar na cidade, mas não tinha alunos.

A Ser Educacional recebeu a "mantença", como se chama o controle de faculdades, da Faculdade São Camilo (FASC), de Belo Horizonte, mas afirma que os únicos gastos foram burocráticos, relativos ao processo de transferência no MEC. A FASC não tem alunos, mas possui dois cursos reconhecidos: Administração, com 100 vagas, e Radiologia, também com 100 vagas. A Ser pretende pedir autorização para abrir mais 30 novos cursos na cidade.

Ao Broadcast, notícias em tempo real do Grupo Estado, o presidente da Ser Educacional, Jânyo Diniz, afirmou que o antigo detentor do credenciamento não se interessava mais pelo negócio. A FASC sequer tinha um prédio. Ainda assim, a Ser Educacional considerou que o negócio era uma forma de agilizar o crescimento orgânico, já que as etapas regulatórias para obtenção de um novo credenciamento tendem a demorar até três anos.

A Ser Educacional já alugou um prédio para a nova faculdade e começará as campanhas para matrículas nos próximos trinta dias. A ideia é tornar a marca "Univeritas" conhecida nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Uma outra instituição comprada no Rio de Janeiro no ano passado, o Centro Universitário Bennett, também vai operar com a nova marca.

A companhia quer que a nova marca seja um guarda-chuva para abrigar novos cursos fora das regiões Norte e Nordeste. Parte dessas novas operações podem vir de forma orgânica, mas há também a intenção de fazer aquisições.

De acordo com Diniz, o grupo segue ativamente em negociações para aquisições de instituições de ensino pequenas e também de grande porte. Até que as transações sejam concluídas, porém, leva tempo. Parte do desafio, diz, é que algumas das negociações, sobretudo envolvendo companhias menores, tendem a parar no processo de due dilligence em razão de problemas de gestão e contingências encontradas.

Enquanto isso, a Ser mira o crescimento orgânico. A companhia já anunciou que tem 19 unidades para abrir até 2018 e mais 20 novas unidades até 2020. Parte dessas instituições deverá estar sob a marca da Univeritas.

A nova marca vai servir ainda para abrigar os planos futuros de crescimento no ensino a distância, diz o diretor de Relações com Investidores, Rodrigo Alves. "Para crescer no ensino a distância, é preciso que a marca tenha força em determinadas regiões", completa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.